Publicado em: 11/06/2019 20h32 – Atualizado em: 11/06/2019 21h06

Justiça Federal de Campo Grande participa da Oficina sobre Política de Gestão de Resíduos Sólidos no TRF3

 

O Laboratório de Inovação da Seção Judiciária de São Paulo (iJuspLab) recebeu, no dia 7/6, magistrados, servidores e diretores administrativos do TRF3 e das Subseções Judiciárias do Mato Grosso do Sul e de São Paulo para uma oficina de Design Thinking sobre proposta de Política de Gestão de Resíduos Sólidos na Justiça Federal da 3.ª Região.

 Durante o encontro, os participantes debateram ideias para a coleta de lixo nos prédios da Justiça Federal dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei n.º 12.305/10.

A Presidente do TRF3, Desembargadora Federal Therezinha Cazerta, participou da abertura da atividade e salientou que o Poder Judiciário tem uma responsabilidade fundamental no cuidado com o meio ambiente.

“Somos nós que julgamos grande parte das questões ambientais. Temos um papel muito importante e não podemos nos omitir. Ações como esta devem servir de exemplo”, disse a Magistrada, referindo-se à discussão em ambiente de laboratório, em busca de soluções que possam ser aplicadas no dia-a-dia da Justiça Federal.

O evento foi coordenado pelos Juízes Federais Roberto Lemos dos Santos Filho e Gabriela Azevedo Campos Sales, membros da Comissão Permanente de Gestão Ambiental da 3.ª Região e por servidores da Assessoria de Desenvolvimento Integrado e Gestão Estratégica do TRF3 e da Subsecretaria de Comunicação, Conhecimento e Inovação da Seção Judiciária de São Paulo.

A Juíza Federal Gabriela Azevedo Campos Sales destacou a importância da ação desenvolvida no iJuspLab.

“Tanto a instituição, como os indivíduos que estão aqui, são grandes consumidores de recursos ambientais e são produtores de resíduos sólidos. É importante que saibamos como funciona essa cadeia da produção de resíduos, os impactos de uma política bem direcionada ou da ausência da política para a instituição e para a coletividade”, explicou a magistrada.

A servidora Camila Rufino Melgarejo, responsável pela Seção de Modernização Administrativa da Justiça Federal de Campo Grande, participou da Oficina e diz ter sido bastante produtiva, sendo importante para constatar a situação especifica de cada Subseção Judiciária e adaptar às respectivas necessidades.

Supervisora do iJuspLab, a servidora Elaine Cristina ressaltou que o objetivo da oficina é pensar criativamente uma forma de elaborar a política institucional de gestão de resíduos sólidos e descreveu o modelo de trabalho adotado na atividade. “Utilizamos a metodologia do laboratório, de colocar as pessoas de forma horizontal e colaborativa, em mesas multidisciplinares, com a participação de servidores, juízes e funcionários terceirizados para reunir as ideias de todos em relação ao problema e, com essa visão holística, começar a pensar nas soluções possíveis”, disse.

 

Assessoria de Comunicação Social do TRF3