Publicado em: 02/10/2020 19h09 – Atualizado em: 02/10/2020 19h17

Outubro Rosa: CJF se ilumina de cor-de-rosa e adere à campanha de conscientização contra o câncer de mama



Ao longo do mês, serão realizadas ações informativas e de atendimento ginecológico para exame clínico das mamas no Conselho

A sede do Conselho da Justiça Federal (CJF), se iluminará de cor-de-rosa durante todo o mês de outubro. O ato representa a adesão do Conselho, por mais um ano, à campanha mundial Outubro Rosa, que busca a conscientização das mulheres a respeito da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, aumentando as chances de cura e reduzindo a mortalidade.

Ao longo do mês, a Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP/CJF) realizará uma série de ações voltadas à conscientização de magistrados, servidores e colaboradores do Conselho sobre o câncer de mama. Além da iluminação do prédio na cor rosa, a SGP prevê outras atividades, como a divulgação semanal de peças publicitárias com informações sobre a prevenção e o tratamento da doença, bem como a disponibilização de atendimento ginecológico, no Setor de Saúde e Bem-Estar, com vistas à realização do exame clínico das mamas.

Campanha

Criado no começo da década de 1990, o Outubro Rosa tem como símbolo da prevenção ao câncer de mama um laço rosa, que foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA). A cor rosa representa um alerta às mulheres para que façam o autoexame e, a partir dos 50 anos, a mamografia a fim de se prevenir a doença.

De acordo com a Médica do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Doutora Claudia Soares Ribeiro, a mamografia é o melhor exame para o rastreamento do câncer de mama, que não possui sintomas em sua fase inicial. As alterações neste exame de imagem são detectadas antes de surgirem alterações clínicas e, de acordo com o caso, outros exames poderão ser solicitados.

“O diagnóstico precoce é de suma importância para o sucesso do tratamento. As chances de cura chegam a 95%. A mamografia deve ser feita a cada um ou dois anos em mulheres a partir dos 40 anos, mesmo as que não tenham nenhum sintoma ou histórico familiar”, afirma a Doutora Claudia Ribeiro.

Autoexame – Para a prevenção da doença, a Médica do STJ lembra que o autoexame é também muito importante, já que permite à mulher conhecer sua própria mama. Caso surjam algumas alterações como nódulos, mudança nos contornos da mama, secreção pelo mamilo, a orientação é procurar um médico para avaliação.

O autoexame deve ser realizado com frequência mensal. Quem menstrua deve fazer o autoexame logo após a menstruação, pois a mama está mais flácida e menos dolorida. Quem já não menstrua escolhe uma data no mês para a realização.

Prevenção

Segundo a Doutora Claudia Ribeiro, algumas das medidas que ajudam a prevenir o câncer de mama são: manter hábitos de vida saudáveis, como o combate à obesidade e evitar o consumo de bebidas alcoólicas; ter filho antes dos 30 anos e evitar o uso da terapia hormonal do climatério por mais de 5 anos.

A médica do STJ lembra que, no entanto, há fatores que fogem ao controle da mulher, como a idade da primeira menstruação, que se for antes dos 12 anos aumenta o risco, assim como a menopausa após os 55 anos. Além disso, em cerca de 5 a 10% dos casos de câncer de mama, alterações genéticas também estão envolvidas.

https://www.cjf.jus.br/cjf/noticias/2020/10-outubro/outubro-rosa-cjf-se-ilumina-de-cor-de-rosa-e-adere-a-campanha-de-conscientizacao-contra-o-cancer-de-mama

Fonte: CJF em 02/10/2020