Publicado em: 08/08/2019 15h02 – Atualizado em: 20/11/2019 19h16

Justiça Federal de Naviraí determina a deflagração da Operação Teça contra máfia do cigarro

Um PRF também foi preso, suspeito de facilitar a passagem de carga

Juiz Federal de Naviraí, Ricardo William Carvalho dos Santos,  determinou hoje (08) a deflagração da Operação Teça, com expedição de 40 mandados de prisão preventiva e mais de 30 mandados de busca e apreensão.

No Estado, mandados serão cumpridos em Eldorado, Mundo Novo, Japorã, Amambai, Iguatemi, São Gabriel do Oeste e Rio Brilhante. O restante tem alvos em Maringá e Umuarama, no interior do Paraná, e em Mossoró (RN).

As investigações que começaram em 2018, apontaram que a quadrilha tem núcleo no Estado e enviava contrabando, principalmente dos cigarros fabricados no Paraguai, para outras localidades do País.

De acordo com a Polícia Federal, durante as apurações, foram apreendidos R$ 144 milhões em contrabando, 155 veículos usados para transportar os cigarros ilegais e 75 pessoas foram presas.

A maior apreensão feita foi em Ivinhema, em junho de 2018, quando 11 carretas carregadas de cigarros foram apreendidas, tendo sido presos 09 motoristas em flagrante. Contabilizou-se, na ocasião, 1 milhão de maços de cigarros, avaliados, juntamente dos veículos apreendidos, em R$ 10 milhões.

A operação foi batizada de Teçá, que no idioma guarani significa “estado de atenção”, segundo a PF, por causa a rede de olheiros e batedores que as quadrilhas de cigarreiros utilizam para monitorar a polícia e fugir da fiscalização. 

 

Seção de Comunicação Social