Publicado em: 09/02/2021 19h09 – Atualizado em: 12/02/2021 19h59

Justiça 4.0 abre vagas para analistas e gerentes até 19 de fevereiro

 

Parceria entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o programa “Justiça 4.0: Inovação e efetividade na realização da Justiça para todos” está com novas vagas para profissionais de Direito, de dados e de tecnologia. São seis vagas para Analista de Ciência de Dados, seis para Analista de Desenvolvimento em Gestão da Informação, três para Analista de Direito e cinco para Gerente. Os editais estão abertos até o dia 19 de fevereiro.

Acesse os editais na página do PNUD

Os cargos de Analista irão atuar no Eixo 4 do projeto, que irá desenvolver o plano de fortalecimento de capacidades institucionais do CNJ e da Justiça para a promoção de segurança jurídica e do ambiente de negócios em prol do desenvolvimento nacional. Os profissionais selecionados terão que desenvolver, entre as atividades previstas, a implantação e a estruturação de dados processuais, com o fomento ao uso do DataJud e do Codex – que consolida bases processuais que possibilitam prover insumos para construção de modelos de Inteligência Artificial (IA). Ainda vão atuar para o fortalecimento do sistema de precedentes judiciais, desenvolver estratégia de capacitação nacional em metodologia de pesquisa e técnicas de análise de dados e apoiar a produção de diagnósticos e painéis para transparência da atuação do Poder Judiciário.

Para as vagas de Analista de Ciência de Dados, a pessoa candidata precisa ter graduação, preferencialmente nas áreas de Estatística, Ciência da Computação, Matemática, Engenharia, Ciência da Informação ou áreas afins. E também deve possuir pós-graduação lato ou stricto sensu em áreas relacionadas à Ciência de Dados, Estatística, Ciência da Computação ou quatro anos adicionais de experiência além do mínimo exigido.

Para Analista de Desenvolvimento em Gestão da Informação, a graduação precisa ser preferencialmente nas áreas de Análise de Sistemas, Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Ciências da Informação ou áreas afins e pós-graduação lato ou stricto sensu em áreas relacionadas à tecnologia da informação ou quatro anos de experiência relevante para o posto além do mínimo exigido. E, para Analista de Direito, graduação preferencialmente em Direito e pós-graduação preferencialmente em Direito, ciências humanas ou áreas relacionadas ou os mesmos quatros anos de experiência profissional além do mínimo exigido.

Tecnologia

O trabalho a ser desenvolvido pelas pessoas que serão contratadas como Gerentes se dará no âmbito do Eixo 1, que desenvolve estratégia para fortalecer a aplicação de mecanismos de inovação e tecnologias disruptivas no Poder Judiciário, com foco na efetividade na prestação jurisdicional para toda a sociedade. O objetivo é consolidar no Judiciário brasileiro uma política de gestão de processos judiciais que integrará todos os tribunais do país.

Os selecionados desenvolverão atividades de consolidação de bases processuais que possibilitam prover insumos para construção de modelos de inteligência artificial, de painéis de comparação e utilização dos dados dos tribunais, entre outras atividades relacionadas. As pessoas contratadas se responsabilizarão, cada um, pela gestão processual e de desenvolvimento de um dos temas principais de trabalho previstos, sempre em estreita articulação com as equipes do PNUD e do CNJ.

Para ocupar a vaga, é necessário ter graduação preferencialmente nas áreas de Administração, Gestão Pública, Tecnologia da Informação, Relações Internacionais, Governança de TI ou outras disciplinas relacionadas. E pós-graduação lato ou stricto sensu, preferencialmente nas áreas de gerenciamento de projetos ou em Administração, Gestão Pública, Tecnologia da Informação, Relações Internacionais, Tecnologia da Informação, Governança de TI e disciplinas afins ou 4 anos adicionais de experiência profissional além do mínimo solicitado.

CNJ Notícias