Publicado em: 07/06/2021 15h18 – Atualizado em: 07/06/2021 15h21

Terceira Região alcança primeiro lugar no nível de maturidade em governança da Justiça Federal

SJSP obteve nota mais alta no ranking geral; SJMS e TRF3 também se destacaram, ocupando 5ª e 6ª posição, respectivamente

A Seção Judiciária de São Paulo (SJSP) alcançou o primeiro lugar no nível de maturidade em governança da Justiça Federal em 2020. Os dados constam do Relatório de Diagnóstico de Governança da Justiça Federal aprovado pelo Conselho da Justiça Federal (CJF) na segunda-feira (31/5). O quinto lugar foi ocupado pela Seção Judiciária de Mato Grosso do Sul (SJMS) e a sexta posição pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3). 

O índice de governança da Justiça Federal (IGovJF) foi instituído pela Resolução CJF 400/2016 e tem por objetivo medir o nível de maturidade alcançado pelo Conselho, pelos cinco TRFs e as 27 seções judiciárias. O Relatório de Diagnóstico 2020 contém dados sobre o desempenho da estratégia da Justiça Federal no exercício e informações sobre transparência e segurança.  

A Seção Judiciária de São Paulo alcançou o primeiro lugar em todo o país, com 91.5 pontos. A Seção Judiciária de Mato Grosso do Sul e o TRF3 obtiveram a mesma nota, 86.6 pontos, ocupando o quinto e o sexto lugares, respectivamente. Entre as cinco regiões, a Justiça Federal da 3ª Região registrou a maior média, com 88.2. 

De acordo com o documento, o IGovJF 2020 médio chegou a 75.7 pontos e atingiu o nível máximo de maturidade. Este foi o maior valor da série histórica iniciada em 2015. 

O resultado é composto pela média de cinco indicadores: Estrutura e Funcionamento da Rede de Governança; Gestão de Pessoas e da Informação; Execução da Estratégia -  Melhoria, Inovação e Controle; Monitoramento e Avaliação de Resultados; e Comunicação, Relacionamento Institucional e Transparência. 

O Relatório foi elaborado pela Secretaria de Estratégia e Governança (SEG) do CJF, após a análise de dados coletados por questionário eletrônico respondido pelas seções judiciárias e pelos presidentes dos TRFs. Ele detalha a atuação dos órgãos da Justiça Federal para o alcance de sua missão, por meio da força de trabalho, da gestão orçamentária e financeira, da atuação estratégica e da prestação jurisdicional. 

A partir das informações coletadas, é possível realizar um processo analítico, com base nos resultados decorrentes dos esforços de magistrados e de servidores no cumprimento das metas e dos objetivos estratégicos, como, busca por melhores índices de produtividade e atendimento às expectativas da sociedade.

Na mesma sessão, o CJF também aprovou o Relatório de Sugestões de Governança. O documento apresenta alternativas para que o IGovJF continue apresentando resultados expressivos. 

O Relatório de Diagnóstico de Governança da Justiça Federal 2020 pode ser acessado aqui.

Assessoria de Comunicação Social do TRF3